Provedores e educação

Provedores e educação em momento de pandemia Deixe um comentário

Provedores garantindo educação no combate ao COVID-19

Entenda a relação e benefícios entre Provedores e educação neste momento de pandemia.

O impacto do Coronavirus nos hábitos de consumo de dados e acesso à internet já não é apenas uma teoria. Tornou-se uma realidade que os provedores de internet e vários setores da economia tem vivido nas últimas semanas.

O setor de educação foi o primeiro a sentir os efeitos práticos das medidas de prevenção ao COVID-19. Isso porque, com a suspensão das aulas, cerca de 1,5 bilhão de estudantes em todo o mundo tiveram sua relação com o ensino alterada ou suspensa. Sendo assim, esse número representa 87% de todos os estudantes do planeta. Segundo atualização realizada em 25 de março pela Unesco, órgão da ONU para educação e cultura.

Dados do MEC  

No dia 18 de março, o MEC publicou a portaria de nº 343 que autoriza a utilização de meios e tecnologias digitais para a substituição temporária das aulas presenciais. Isso pelo prazo inicial de 30 dias em instituições de ensino superior (IES). Sendo assim, a recomendação é de que professores e alunos trabalhem juntos e de forma remota pela internet, evitando a perda do calendário letivo deste ano.

O fechamento de escolas e universidades está fazendo com que instituições de ensino acelerem a implantação de metodo­logias digitais. Além disso, faz com que muitas delas estruturem suas metodologias de Ensino à Distância.
De acordo com matéria da Revista Exame, de 26/03/2020, a Somos Educação vai mais que dobrar o número de alunos do ensino básico que usam sua plataforma online, a Plurall. Antes da crise do coronavírus, 570.000 alunos do ensino médio e do fundamental 2 já utilizavam a plataforma para fazer exercícios e interagir com tutores. Mas, agora com as aulas suspensas, a previsão é que o tempo de conexão aumente de 47 minutos para 3 a 4 horas diárias e que 700.000 novos alunos virtuais ingressem na metodologia da plataforma.

Fonte: Revista Exame, 20/03/2020

Com o aumento significativo no número de instituições trabalhando online com alunos e professores. A demanda por internet exige que os provedores de internet organizem suas redes e infraestruturas para garantir sinal de qualidade.

Claro que momentos de crise como o que estamos vivendo causam também dúvidas sobre a equação investimento x duração da demanda por EAD. Além disso, dados na Unesco, EdWeek e HolonlQ demonstram que a digitalização da educação é um movimento anterior ao Coronavírus. E que o momento de crise só fez antecipar a tendência de adesão e ampliação ao ensino à distância em todo o mundo. E em especial no Brasil.

Inserção Digital



Isso porque, um país de dimensões continentais como o nosso contará cada dia mais com os provedores regionais de internet. Isso porque, é necessário permitir que a inserção digital ocorra em todas as cidades e mesmo áreas rurais de forma permanente, e que o ensino digital possa elevar os indicadores de educação do Brasil a partir de já.

Sendo assim, muitos setores podem ficar apenas na torcida de que as medidas de prevenção surtam efeito, mas o papel do provedor regional de internet é que fará a diferença no combate à Pandemia. 

Veja Também:

Hotspot wi-fi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *